Notícias

Futebol Profissional

Na estreia da Série B, Figueirense confirma qualidade ao empatar com Guarani, em Campinas (SP)

Alemão Teixeira criou boas oportunidades pela direita – Foto: Letícia Martins/GFC

Com garra e organização, o Figueirense apresentou volume de jogo e potencial ofensivo ao empatar, por 0 a 0, com o Guarani, em partida disputada neste sábado (27), no Estádio Brinco de Ouro da Princesa, em Campinas (SP). Ao somar o primeiro ponto, o time do Estreito alcançou, provisoriamente, a oitava posição. 

Após o amadurecimento do jovem elenco no Catarinense, associado com a intertemporada e o fortalecimento do time titular com reforços experientes – meias Tony e Fellipe Mateus -, o Alvinegro ratificou a esperada desenvoltura para pressionar e impor um jogo consistente. 

Com boas oportunidades criadas, especialmente com o atacante João Diogo, o alvinegro acertou a trave e exigiu que o bugrino Giovanni promovesse diversas defesas difíceis. 

Denis segue mostrando segurança na meta alvinegra – Foto: Letícia Martins/GFC

Quando exigido, Denis mostrou, mais uma vez, a razão de ser o melhor goleiro de Santa Catarina. Nos últimos minutos do jogo, promoveu uma sequência de bloqueios que garantiu a invencibilidade do Figueira.

Na sequência do Brasileiro, o Furacão receberá o São Bento (SP), no próximo sábado, 4 de maio, às 11h. A primeira partida em casa, no Estádio Orlando Scarpelli, será válida pela segunda rodada.

O jogo

Propondo o jogo, o Figueirense avançou para o ataque a partir das infiltrações de Willian Popp e os chutes de fora da área do volante Betinho. 

No detalhe, Popp intensifica marcação no meio – – Foto: Letícia Martins/GFC

Com o estreante Tony organizando a saída de bola, o time catarinense criava oportunidades tanto pelas pontas, quanto com triangulações na intermediária bugrina.

Aos 30 minutos, a pressão gerou uma grande oportunidade. João Diogo recuperou a bola, tabelou com Fellipe Mateus, invadiu a área e, de esquerda, finalizou com força. A bola foi na trave e seguiu para a linha de fundo. 

Na reta final da primeira etapa, troca de passes eficiente, no contra-ataque, e Fellipe Mateus lança para Tony. O camisa 7 domina e bate colocado, mas para fora.

O Furacão seguiu avançando em busca do primeiro gol nos 45 minutos finais. João Diogo, como pivô, seguiu dando trabalho e ameaçado a zaga adversária. 

Logo aos 12 minutos, o camisa 13 recebeu bem posicionado e, com habilidade, finalizou na pequena área. O goleiro, no reflexo, foi obrigado a defender em dois tempos. 

Na sequência, a oportunidade foi pelo alto. A partir do escanteio cobrado por Fellipe Mateus, Pereira subiu sozinho, mas mandou para a linha de fundo.

Elenco mostrou desenvoltura para buscar a vitória em Campinas – Foto: Letícia Martins/GFC

O técnico Hemerson Maria utilizou o banco e colocou em campo Guilherme, Alípio e Julio Rusch e a pressão pelo gol da vitória aumentou. 

Aos 43 minutos, Julio Rusch recebeu avançado e chutou para a grande defesa de Giovanni, que afastou a possibilidade de Tony empurrar para o gol. 

Na retaguarda, quando exigido, Denis garantiu com grandes intervenções e, com isso, assegurou o empate. O melhor goleiro do Catarinense defendeu, nos acréscimos, dois chutes seguidos do ataque do Guarani, incluindo um bloqueio rasteiro com a mão, onde a bola explodiu, posteriormente, na trave. 

Ficha técnica 

Figueirense 

Denis; Alemão Teixeira, Pereira, Ruan Renato e Matheus Destro; Zé Antônio (C) (A), Betinho e Tony; Fellipe Mateus (A) (Alípio), Willian Popp (Julio Rusch) e João Diogo (Guilherme). Técnico: Hemerson Maria.

Guarani

Giovanni; Bruno Lima (Léo Príncipe), Xandão, Ferreira (A) e Inácio; Deivid e Ricardinho (A); Felipe Amorim e Mateusinho (Eder Luis); Arthur e Diego Cardoso (Anselmo Ramon). Técnico: Vinícius Eutrópio.

Legenda: (C) – Capitão; (A) – Amarelo 






Parceiros

Marcas que jogam junto com o Furacão

  • Liderança
  • Governo Federal
  • Topper
  • InfoTV
  • Baly
  • BrahmaBrahma